Artistas 2017

Mr. Tartuffo
“Tug of War“ 
“A rua é um lugar fantástico para atuar. Podemos fazer apresentações únicas “(Mr. Tartuffo) E se deixarmos as nossas obrigações por um momento para ajudar alguém a cumprir o seu sonho?
E se ao invés de pensar que existem proezas impossíveis, nos atrevermos a conquistá-las?
Foi o que o Sr. Tartuffo propôs: quebrando as regras de equilíbrio. Mas para isso, ele precisará da ajuda do público. “Tug of War” é um espetáculo que combina malabarismo, equilíbrio, magia e comédia.
Um espetáculo de circo que se baseia na improvisação e na participação do público e com o qual o artista procura valorizar a máxima maquiavélica que “nunca houve nada de grande alcançado sem perigo”.
Um espetáculo incomum que percorreu o mundo e nos conta sobre os limites que nós nos impomos diariamente, os desafios e sobre como estes podem ser alcançados se recebermos o
apoio de alguém.
Bilan
“Bilan“ 
“Bilan, como é conhecido no meio musical, é um músico e compositor nascido na ilha de São Vicente (Mindelo) em Cabo Verde no ano de 1981, mas que conta já com cerca de 20 anos de experiência como autor e intérprete.” “Alguns dos que formam os seus principais rochedos de inspiração do ponto de vista composicional e interpretativo, como Bau, Bana, Vasco Martins, Titina, Tubarões ou Cesária Évora. Vive exclusivamente da música e explica de que modo o ‘ritmo’ e o recurso a instrumentos sobretudo percussivos que não os cordofones (igualmente percussivos, tanto mais consoante o modo como são executados) é importante na procura de um ‘som’, ‘musicalidade’ e ‘identidade’ específicos na música que faz, tanto como os músicos com que em Lisboa se cruzaria e que acabaram por se mostrar decisivos, ao se juntarem aos primeiros agrupamentos que integrou, no seu caminho musical.
Benjamin Delmas
“Mr. Bang”
Bang, o terrorista do riso!
Ele gosta de tudo o que faz BANG! Mr Bang é um palhaço punk repleto de energia onde quer que vá!
Nasceu na França, cresceu na Inglaterra e viaja ao redor da palavra!
Do Dubai a Africa do Sul, Austrália e Índia, América do Sul e Itália …
Ele encanta todas as pessoas com suas habilidades absurdas, psicadélicas e pos românticas, truques de fumo e comédia explosiva.
Personagens extraordinárias, ele sabe como manter a tensão do público durante todo o espetáculo!
A missão do Sr. Bang é fazer com que se ria na cara do medo para fazê-lo desaparecer!
Rodrik
“Rodrik“ 
Rodrik é um músico multi-instrumentista que se dedica desde 2008 ao estudo e exploração de vários instrumentos exóticos provenientes de diversas partes do mundo.
Didgeridoo, Bansuri, berimbau, guitarra e percussões variadas são alguns dos instrumentos explorados neste caminho de busca constante por novas sonoridades e linguagens musicais.
Rodrik conheceu o didgeridoo e o handpan em 2006,  quando residia em Barcelona, e, desde esse dia, ficou fascinado pelo som peculiar e espacial proveniente de ambos os instrumentos.
No início de 2008, começou a aprender a tocar didgeridoo de forma autodidata, encontrando no mesmo uma forte forma de expressão, o que inevitavelmente intensificou a relação com a sua musicalidade.
Desde 2010, Rodrik iniciou o seu percurso enquanto performer, tendo atuado em diversos palcos de festivais, tais como o Boom festival, Fatt, Didg.E.Vent Berlin, Festival Luso Zen, Festival Etnias/Ollin Kann, entre outros inúmeros eventos.
Para além dos palcos, Rodrik sempre partilhou a sua música nas ruas de várias cidades europeias, por acreditar que a raiz da música é proveniente do convívio do povo na rua.
Em 2013, teve a possibilidade de adquirir o seu primeiro Handpan e, desde então, tem vindo a explorar as infinitas possibilidades musicais que o mesmo oferece.
Uma fusão de ritmo, melodia e harmonia feita através duma maravilhosa peça de metal de som cristalino, cuja forma pode facilmente ser confundida com uma nave espacial ou até mesmo com uma cataplana, neste caso, uma cataplana que cozinha música.
Mimo Huenchulaf
“A Smile change your life “ 
Neste espetáculo, Huenchulaf tenta fazer passar o tempo de uma maneira diferente. É por isso que ele brinca de maneiras diferentes com as pessoas para transformar o público, os veículos, os animais e todos os elementos que estão no lugar nos seus próprios companheiros de viagem.
Uma viagem a um mundo sem medo ou limites, onde qualquer coisa pode acontecer. No espetáculo, as diferentes disciplinas do mímico clássico, mímica contemporânea, mímica de rua, acrobacia e clowning são misturadas. Elementos e técnicas de malabarismo e manipulação também são usados.
A intenção é improvisar com o público e todos os objetos disponíveis, fazendo o espetáculo sempre de uma maneira nova, fresca e diferente.
Rui Cruz
“Le Espectacle Terrible”

“Le Espectacle Terrible” são 50 minutos de uma experiência mágica onde a Realidade se confunde com o Imaginário.
Neste espetáculo divertido e arrojado não há artista nem há público. O Rui convida todos os membros do público a participar e a experiênciar em 1a Pessoa o Impossível e o Absurdo.”
Joao Jardim
“Joao Jardim”
João Jardim é músico, tocador de Didgeridoo nascido na Ilha da Madeira, que reside atualmente em Lisboa. Desde que descobriu o Didgeridoo em 2008 tem vindo a desenvolver novas possibilidades deste instrumento, através da fusão étnica entre o som do Didgeridoo e estilos musicais contemporâneos, tendo o Beat-box como elemento de ligação.O seu estilo de Didgeridoo transmite vibrações de música electrónica orgânica, misturada entre estilos que variam desde o hip- hop, dub-step, funk e Drum ‘n’ Base.
SeptEnsemble
“SeptEnsemble”
A breve história dos Septensemble começa quando um dos músicos oriundos da União Filarmónica de A-da-Gorda tinha o sonho de formar um projecto do genêro, e assim começaram os ensaios de preparação para apresentação do projecto em Setembro de 2013.
Actualmente somos 5 elementos, todos músicos amadores oriundos da Banda da União Filarmónica de A-da-Gorda com idades entre os 11 e os 37 anos.O nosso slogan de apresentação é: Somos um grupo de amigos oriundos das localidades de A-da-Gorda e Usseira com origem na Banda da União Filarmónica de A-da-Gorda”
Fulano 47
“Fulano 47”
Desde 2001, Fulano47 abala as pistas de dança mais desavergonhadas em todo o país, ocasionalmente atuando em outras cidades europeias como Londres, Atenas, Ibiza, Madrid e
Barcelona, ao lado de artistas internacionais de renome como Tiga, James Holden, Joris Voorn ou Samuel L . Session.
Despojado de qualquer tipo de decência, as sessões de Fulano47 passam do grooviness de Deep e Jazzy House para as constantes pulsações de Tech House, Minimal e Techno. Da intimidade da casa noturna a milhares de eventos como Neopop, Marés Vivas, Beach Street Festival (Grécia) ou Portugal Fashion, o seu estilo original e sua técnica elegante continuam a empurrar a música de dança eletrónica para novas alturas iluminantes.